17 de outubro de 2014

Resenha: A culpa é das estrelas - Filme


Olá meninas, tudo bem com vocês? 

Ontem eu comprei o meu tão sonhado DVD do meu filme favorito: A culpa é das estrelas. Acho que já deu para vocês perceberem pelos meus posts que eu sou completamente apaixonada por esse filme/livro, e que eu sou uma John Green Fanática. Quando eu comprei o livro e li pela primeira vez, eu já tinha me apaixonado só pela capa, quando li a história realmente... Me apaixonei mais ainda! Chorei meninas, mas, chorei mesmo. Quando soube que o filme iria ir para as telinhas eu fiquei ainda mais doida. Bom, agora que eu já pude ter essa experiência de ver o filme, revê-lo, e outra vez vê-lo, pude tirar algumas conclusões óbvias. 

Para começar esta resenha, vou contar uma triste história que aconteceu comigo. No 3º dia de estréia do filme, convenci meus pais e fomos ao shopping, chegamos no cinema, eu fui conferir os horários que tinham para as sessões. E a sessão das 19h00 já tinha lotado e só tinha para às 22h00, só que tem o porém, o filme era legendado (e sinceramente, tenho preguiça de ler aquelas letrinhas que passam que nem flash). E infelizmente, não vi, fiquei muito chateada no dia.

Eu sempre fui atrasada para comentar resenhas e outras novidades que surgem pelo mundo a fora, e eu jurei para mim mesma que só iria ver o filme quando comprasse em DVD, (já que não pude ver no cinema), me aguentei até ontem, então, vou está comentando sobre o que eu achei. Lembrando que: cada um tem sua opinião para cada assunto, sempre digo isso em toda resenha.


Sinopse: Diagnosticada com câncer, a adolescente Hazel Grace Lancaster (Shailene Woodley) se mantém viva graças a uma droga experimental. Após passar anos lutando com a doença, ela é forçada pelos pais a participar de um grupo de apoio cristão. Lá, conhece Augustus Waters (Ansel Elgort), um rapaz que também sofre com câncer. Os dois possuem visões muito diferentes de suas doenças: Hazel preocupa-se apenas com a dor que poderá causar aos outros, já Augustus sonha em deixar a sua própria marca no mundo. Apesar das diferenças, eles se apaixonam. Juntos, atravessam os principais conflitos da adolescência e do primeiro amor, enquanto lutam para se manter otimistas e fortes um para o outro.

Para tirar uma casquinha, vi o trailer, e já fiquei com ansiedade enorme de poder vê-lo, mas como disse acima, me segurei até o momento em que comprei o DVD. Uma coisa que posso afirmar é que, o filme coincidiu bastante com o livro, teve algumas partes que ficaram faltando, mas nada que poderia mudar a emoção de vê-lo. O filme é uma história triste? Sim, mas ele nos revela algo muito importante: valorizar pessoas que temos ao nosso lado, pois amanhã, essa pessoa  não poderá estar conosco.

Chorei? Sim, e muito. Eu pensei o seguinte: se no livro eu já me emocionei, imagine o filme? Dito e feito, chorei que nem uma criança. Algumas amigas minhas ficaram falando: "Ah, nem é pra tanto", "Ah, fala sério". Mas elas não sabem, só quem é fã mesmo, ou gosta de verdade vai entender o que estou sentindo, é algo inevitável. Várias partes me fizeram chorar, mas tiveram umas em especial que me fizeram desabar, principalmente o final! 

O filme nos permite sentir as emoções, as alegrias, as tristezas, os choros e os sorrisos, como disse antes, ele foi fiel ao livro. E também nos revela uma das maiores lições sobre a vida: Hazel foi diagnosticada com câncer, mas mesmo assim se manteu guerreira até o final. E o que isso significa? É que muitos reclamam de coisas bobas do dia-a-dia, mas não percebem que são super saudáveis, tem uma família maravilhosa. E são exatamente coisas simples, pequenas do nosso dia-a-dia que tornam nossa vida especial e única. 



Sem falar nas músicas, quando eu vejo um filme além de querer saber o enredo, adoro ouvir a trilha sonora. Fiquei um mês ouvindo a trilha sonora do filme Meu namorado é um zumbi, e mais um mês do filme A culpa é das estrelas. Para mim a trilha sonora do filme caiu como um presente de aniversário, eles arrebentaram na escolha, a minha favorita foi a All of the stars de Ed Sheeran, que com certeza foi a favorita de muitoooos. 


"O que mais? Ela é tão linda! Não me canso de olhar para ela. Não me preocupo se ela é mais inteligente que eu: sei que é. É engraçada sem nunca ser má. Eu a amo. Sou muito sortudo por amá-la, Van Houten. Não dá para escolher se você vai ou não vai se ferir neste mundo, meu velho, mas é possível escolher quem vai feri-lo. Eu aceito as minhas escolhas. Espero que a Hazel aceite as delas."

Okay Hazel Grace? 




AVISO IMPORTANTE!!!!!

Quando forem ver o filme recomendo que fiquem com lenços na mão! 


Meninas, eu espero que tenham gostado do post, não foi uma resenha tão completa assim como vocês devem está acostumados a ler. Mas eu fiz com o que eu senti na hora que eu vi o filme e tudo mais. Espero vocês no próximo post, beijocas e fiquem com Deus! 


Okay?
     Okay.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Copyright © 2014 • Para Sempre Julieta • Since 2016 | Design e Código: Sanyt Design | Modificações: Josiane Souza | AVISO: Todas as fotos são retiradas do Google (www.google.com.br), portanto caso tenha alguma de sua autoria entre em contato para a retirada da imagem ou a aplicação dos seus devidos créditos. | Uso pessoal • Voltar ao topo